Pastéis doces recheados com marmelada / Baked pastry squares stuffed with quince paste



Esta é a minha primeira participação no grupo do Facebook Quinze dias com..., onde somos desafiados a experimentar receitas inspiradas por chefs de renome, escolhidos pela administradora do grupo a cada duas semanas. Infelizmente, eu já perdi três chefs que eu realmente admiro, mas espero que possam ser nomeados de novo num desafio futuro. 

Desta vez, o chef escolhido foi Antonio Carluccio e devo confessar que fiquei preocupada dado que não sabia muito sobre ele. Vi-o uma vez num episódio do Masterchef Austrália e do que eu me lembrava era da sua figura amigável e paternal. Esta era, pois, uma boa oportunidade para investigar o seu trabalho. 

Antonio Carluccio nasceu em 1937, em Vietri sul Mare, Salerno, no sul da Itália, mas foi criado em Piemonte, no Noroeste do país. É um colecionador de cogumelos e deve ter um bom sentido de humor, pois tem uma entrada no seu site oficial para quem quiser enviar-lhe uma piada :) (é verdade, podem verificar aqui). Viveu na Áustria (começou a cozinhar jantares simples de massa para ele e para um colega de apartamento, num fogão de duas bocas, em Viena, com a idade de 21), na Alemanha e, desde 1975, em Londres. Já teve vários restaurantes em Londres e escreveu diversos livros de culinária. Mas, depois de toda a minha pesquisa na Internet, o que mais sobressaiu foi o verdadeiro amor e cuidado que este chef dedica à riqueza culinária de seu país, tentando manter-se fiel às tradições culinárias e ingredientes italianos. 

Pesquisei bastantes receitas de Antonio Carluccio e estava determinada a fazer um prato de massa, sendo esta uma das minhas coisas preferidas na culinária italiana. No entanto, quando pousei os olhos nestes quadrados de massa recheados com doce, soube de imediato que era isto, pois tenho andado à procura de uma receita para usar alguma da marmelada que fiz no final do ano passado. De acordo com o chef, estes pastéis eram feitos na sua casa, quando ele era criança, e eram a melhor maneira de usar alguns dos doces que a sua mãe fazia em quantidade. Bom, depois de ter experimentado só posso concordar com ele :)

Espero que gostem!




This is my first participation in the (Portuguese) Facebook group Quinze dias com…, where we are challenged to try recipes inspired by renowned chefs, chosen by the group manager every two weeks. Unfortunately, I’ve already missed three chefs I truly admire but I hope they might be nominated again in a future challenge.

The chef chosen this time is Antonio Carluccio and I must confess I was worried since I didn’t knew much about him. I’ve seen him once in a Masterchef Australia episode and what I remembered was his friendly and fatherly figure. So, this was in fact a good opportunity to investigate about his work. 

Antonio Carluccio was born in 1937, in Vietri sul Mare, Salerno, in the south of Italy, but he was raised in Piedmont, in the North-West. He is a mushroom collector and must have a good sense of humor since he has an entry in his official website for anyone who wants to send him a joke :) (really, you can check it here). He lived in Austria (he began to cook simple pasta suppers for himself and his flat-mate on a two-ring stove in Vienna, at the age of 21), Germany and, since 1975, in London. He has managed several restaurants in London and has written numerous cook books. But, after all my research on the Internet, what’s more noticeable, is the real love and care this chef devotes to the culinary wealth of his country, trying to remain loyal to Italian cooking traditions and ingredients.

I researched many of Antonio Carluccio’s recipes and I was determined to make a pasta dish, being this one of my favorite things in Italian cuisine. However, when I laid my eyes on these pastry squares stuffed with jam I knew immediately that this was it, since I have been searching for a recipe to use part of the quince paste I made at the end of last year. According to the chef, these sweet treats were made at his home, when he was a child, and were the best way of using some of the jam his mother made in large quantities. Well, after trying I can only agree with him :)

I hope you enjoy!






Pastéis doces recheados com marmelada

300g de farinha italiana tipo '00’ (usei farinha T65) 
Uma pitada de sal 
3 ovos médios, batidos 
75g de manteiga sem sal, derretida e arrefecida (só quando comecei a fazer os bolos é que percebi que apenas tinha manteiga com sal em casa. Usei-a e não adicionei a pitada de sal). 
400g de doce à vossa escolha (usei marmelada caseira. Podem encontrar a receita aqui
Açúcar em pó para polvilhar

Para fazer a massa, peneirar a farinha com o sal para uma tigela e fazer um buraco no meio. Colocar os ovos e a manteiga derretida no meio e começar a misturar a farinha a partir dos lados para o centro. 

Misturar com os dedos até obter uma massa homogénea e macia. Embrulhar em película aderente e colocar a descansar no frigorífico durante uma hora. 

Pré-aquecer o forno a 180 ° C. Preparar um tabuleiro, untando-o ou forrando com papel vegetal. 

Polvilhar um pouco de farinha sobre a bancada da cozinha e, com um rolo, esticar a massa numa folha com cerca de 3 milímetros de espessura. Cortar em tiras de 12 centímetros de largura e, ao longo de uma delas, colocar colheres de chá de doce com intervalos de cinco centímetros. Pincelar um pouco de água à volta de cada colherada de doce e dispor outra tira de massa sobre a primeira. Pressionar com as mãos em torno das porções de recheio para selar cada pastel. Cortar com um cortador de massa e colocar os pequenos quadrados recheados no tabuleiro. Repetir até a massa acabar.

Cozer no forno pré-aquecido por 15 a 20 minutos. Polvilhar com açúcar em pó. São ótimos servidos ainda quentes.

***

Baked pastry squares stuffed with quince paste

300g Italian '00’ flour (I used the Portuguese flour T65 type)
A pinch of salt
3 medium eggs, beaten
75g unsalted butter, melted and cooled (when I started to make the pastries I didn’t notice that I only had salted butter at home. So I used it and skipped the pinch of salt).
400g jam of your choice (I used homemade quince paste. You can find the recipe here)
Icing sugar for sprinkling

To make the pastry, sift the flour into a bowl with the salt, and make a well in the middle. Put the eggs and the melted butter in the middle and start to mix the flour from the sides into the center.

Mix with your fingers until you have an homogeneous and smooth pastry. Wrap in cling film and let the dough rest for an hour in the fridge.

Preheat the oven to 180°C. Prepare a baking tray by greasing it or lining with parchment paper.

Sprinkle some flour on the kitchen countertop and, with a rolling pin, roll the dough out to a sheet 3mm thick. Cut into bands 12cm wide and, towards one long side, drop teaspoons of jam at 5cm intervals. Brush some water around the jam and fold another dough band over the first one. Press with your hands all round the jam dollops to seal the pastries. Cut with a pastry cutter and put the small stuffed squares on the baking tray. Repeat until the dough is over.

Bake in the preheated oven for 15-20 minutes. Sprinkle with icing sugar. They are great served still warm.

Comments

  1. Que bela sugestão! Que maravilha!!! Beijinhos, Susana

    ReplyDelete
  2. Não conhecia o chef, mas a avaliar pelos pastéis, é deveras um senhor inspirado - e tu também por combinar a boa da marmelada com esta massa fantástica :)

    ReplyDelete
  3. Ficaram lindas e tem um recheio tao bom.
    Bj

    ReplyDelete
  4. Que delicia. Bela escolha.
    Beijinhos

    ReplyDelete
  5. Olá,

    Gostei da tua sugestão e ficaram com um aspecto bem guloso.

    Beijinhos,
    Clarinha

    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2014/07/quinze-dias-com-antonio-carluccio.html

    ReplyDelete
  6. Acho que esta primeira participação foi de mestre! Deliciosos pastelinhos!
    Beijinhos

    ReplyDelete
  7. Que boa ideia!! Já tinha ouvido falar nas nossas azevias cozidas no forno em vez de fritas... hum... vou experimentar em breve!

    ReplyDelete
  8. Ficaram tão lindos e são uma ótima sugestão para aproveitar as compotas. Fiquei com imensa vontade de experimentar. Vou levar a receita, OK?
    Bjn
    Márcia

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada Márcia! Estás à vontade :)

      Delete

Post a Comment